O Jornal Analítico é um projeto profissional independente que busca através das notícias, opiniões e análises criar um senso crítico que amplie a capacidade de entendimento social do leitor. Sempre com a seriedade que o jornalismo profissional necessita. Amplie-se.

-Publicidade-

Cerco se fechando, caos e um desabafo do que vos fala.

0

Se você é daqueles que ainda negam os fatos, seja muito bem vindo. Mudar de opinião não é vergonhoso, vergonhoso é manter a mente pequena embasada em nada.

É inacreditável os que ainda negam a verdade e a realidade que são diariamente noticiadas por nós da imprensa, seja dos grandes grupos ou da mídia independente. Chega a ser desumano quem espalha por aí as groselhas de que não tem hospital cheio, que ninguém tá morrendo, que tudo isso é plano pra criar crise e que o Bolsonaro tem razão e todo esse blá blá blá… Chega a beirar insanidade mental. É um desfavor.

Proponho a você que vive negando o colapso e as crescentes internações pela Covid-19 e as mortes por ela causada (direta e indiretamente já que ela colapsou o sistema de saúde), visite as UTI’s, visite os cemitérios onde valas comuns estão sendo abertas, pergunte às quase 10 mil famílias que já perderam algum parente para a doença. Faça esse favor e pare de espalhar boatos e inverdades como se verdade fossem. Não são! Você é desinformado, apenas.

Você que repete o presidente, que demonstra raciocínio pobre, medíocre e lunático; colabora com essa loucura de que todos tem que sair para as ruas em meio a uma Pandemia,  pois “a economia parou”.

“Ah, o país parou! Todo mundo passando fome!” A pobreza sempre foi ignorada pela sociedade e num governo neoliberal isso é mais notável ainda.

PUBLICIDADE

– É histórico. Quando os que pedem igualdade social e lutam por isso, sempre são taxados, imprópriamente, de “comunistas” por esses que hoje se apropriam da luta em defesa ao empresariado. Ludibriadores e aproveitadores, no mínimo hipócritas.-

Nada parou 100%!

A distribuição, consumo e produção dos itens essenciais – O Brasil não enfrenta problema de abastecimento, inclusive as associações dos meios produtivos lançaram notas tranquilizando parte do mercado, pois a produção não parou, houve redução, óbvio, mas está ativa. A balança comercial brasileira registrou superavit de US$ 4,713 bilhões no mês de março, conforme  informou a Secretaria de Comércio Exterior, do Ministério da Economia, em Abril. Pra você entender o superávit ele se dá quando as exportações superam as importações. Quando ocorre o contrário, é registrado déficit comercial. 

Dá pra vocês entenderem que praticar o isolamento corretamente não é o fim do mundo? É momentâneo e de extrema importância para salvar vidas.

O que prejudica o Brasil não é o isolamento social, é o presidente e o brasileiro que não acatam ás medidas que graças ao STF, os governos estaduais e municípais estavam dando certo, porém perderam força por disputas e demonizações políticas por futuras brigas eleitorais.

O presidente distorce verdades e não quer ouvir as principais entidades de saúde e especialistas mundiais que afirmam e reafirmam que o isolamento é imprescindível para a saúde e vai ser essencial na retomada das engrenagens da economia e da sociedade como um todo.

O colapso na saúde não existe para o presidente que não foi a um hospital ver de perto, falta-lhe coragem para se deparar com a realidade e ver suas teorias caírem por terra.

Pelo segundo dia consecutivo, o Brasil registrou cerca de 10 mil novos casos do novo Coronavírus e mais de 600 novas mortes decorrentes da Covid-19. Segundo o balanço divulgado na noite desta quinta-feira (7) pelo Ministério da Saúde, o país confirmou 9.888 novos casos e 610 novas mortes. Com isso, o país tem 135.106 casos confirmados e 9.146 mortes.

“Aaah mas inventam esses dados, insuflam e isso tudo é mentira, eu não vejo nada disso na minha bolha!” Balbuciam alguns que ainda nao tiveram consciência de olhar para a realidade e entender seu papel na sociedade.

A metodologia usada na captação dos dados funciona dessa forma, conforme o ministério da saúde:

Os números de óbitos refletem os casos registrados entre os boletins pelas secretarias estaduais de Saúde, independentemente da data em que tenham ocorrido. Estimativas recentes mostram que as mortes podem levar mais de um mês para serem inseridas no sistema do governo. Essa demora é um problema, pois não é possível rastrear o nível da Pandemia no país, estimasse que mais de 100 mil testes estejam aguardando resposta.

Oscilações nos números também são influenciadas por outros dois fatores: a capacidade de testagem, que se comparada com outros países é pífia, muito pequena e a própria rotina de trabalho das secretarias de saúde.

A importância da ampla testagem é suma importância para rastrear a doença. Sem saber onde está o inimigo, essa guerra poderá durar bem mais do que imaginamos.

“Achatar a curva” não irá resolver sozinha a questão, mas evitará colapsos e mortes, pois dará tempo para os leitos serem disponibilizados e mais gente ter acesso ao tratamento.

Não pode haver dualidade, a vida sempre em primeiro lugar! O Estado tem essa obrigação. O presidente não governa em prol dessa premissa constitucional. Estamos lutando contra dois vírus, o Sars-Cov-2 e o que ocupa a cadeira de presidente.

PUBLICIDADE

Renan Aversani

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

dezesseis − 10 =