O Jornal Analítico é um projeto profissional independente que busca através das notícias, opiniões e análises criar um senso crítico que amplie a capacidade de entendimento social do leitor. Sempre com a seriedade que o jornalismo profissional necessita. Amplie-se.

-Publicidade-

Vida de pet na Pandemia

0

Como tem sido a vida de pet durante a Pandemia? Quais os cuidados, as dificuldades e oportunidades que surgiram no período de isolamento social.

Com o período da Pandemia, a vida de pet tem sido mais complicada do que o normal. Alguns cuidados devem ser tomados e a atenção com os bichinhos é essencial.

O Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) no início da Pandemia manifestou a necessidade de cautela nas decisões sobre cuidados com os animais de estimação e destacou o papel do médico-veterinário como parte integrante do Sistema de Saúde Única, que envolve o ser humano, os animais e o meio ambiente.

Os serviços veterinários e de nutrição animal são essenciais para a saúde pública, especialmente na prevenção de doenças, no gerenciamento de emergências e no enfrentamento de pandemias, como a que ocorre atualmente.

PUBLICIDADE

Segue algumas das recomendações valiosas do Conselho Federal de Medicina Veterinária de como lidar com os Pets e suas necessidades durante a Pandemia:

CONSULTAS VETERINÁRIAS: atendimento preferencialmente agendado, com a presença de apenas um responsável (tutor), para evitar a concentração excessiva de humanos nos ambientes de espera.

PET-SHOPS: são muito importantes na nutrição dos animais, devendo manter estoque normal dos alimentos, evitando deslocamentos incertos dos tutores à procura da ração ideal para seu animal.

ESTÉTICA ANIMAL: incentivo aos tutores a diminuir a frequência de banhos e tosas de seus pets, diminuindo a circulação das pessoas. Preferencialmente, realizar a higiene dos pets no próprio domicílio.

PASSEIOS COM PETS: devem ser reduzidos, feitos em pequenas distâncias, apenas para atender às necessidades fisiológicas dos animais, também evitando concentrações em parques e praças.

QUARENTENA E AS CLÍNICAS: Os serviços clínicos veterinários são essenciais e devem ser mantidos à disposição da população, assim como os de nutrição animal, desde que reforcem os cuidados com a higienização a cada atendimento e organizem o agendamento das consultas com antecedência para evitar concentração excessiva de pessoas no mesmo ambiente.

Afinal, os PETS estão sujeitos ao contágio pelo novo coronavírus?

O coronavírus é transmitido pelos animais? Devo evitar contato com os meus pets? Bom, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) até o momento, não há evidência significativa de que animais de estimação possam ficar doentes ou transmitir o novo coronavírus (Covid-19).

Mesmo sem uma evidência significativa, a recomendação é de que pessoas infectadas evitem o contato com seus cães e gatos e também façam quarentena de convivência com eles.

Mas se o animal não transmite, nem pega o Covid-19, por que não posso ficar perto do meu pet se eu estiver com o novo coronavírus?

Realmente, não há comprovação científica de que o animal transmita o Covid-19, mas é importante entender que se o tutor infectado espirrar ou tossir perto de seu animal, poderá espalhar partículas com vírus na pelagem do animal.

Vale lembrar que não há informações de que o animal desenvolva a doença, mas se o pelo estiver contaminado e outra pessoa o tocar, haverá transmissão do vírus. Todo cuidado faz a diferença para evitar o contágio.

Não abandone os animais

O abandono de animais é inaceitável e já era um problema de saúde pública no Brasil antes mesmo da ameaça do coronavírus, uma vez que cachorros e gatos errantes, sem vacinação e cuidados de saúde, além de indefesos, são potenciais transmissores de zoonoses, aquelas doenças transmitidas de animais para seres humanos, como raiva, leishmaniose, leptospirose, toxoplasmose e outras.

vida de pet nao abandone
Imagem- ATPA proteção animal

PUBLICIDADE

Não há ainda relação de transmissão do Covid-19 por animais. Dessa forma, reforça-se a necessidade de que as pessoas pratiquem a guarda responsável, cuidem da saúde dos seus pets e mantenham as medidas necessárias para evitar a propagação de doenças.

Oportunidades que o convívio trouxe

O convívio entre humanos e pets aumentam os relatos e demonstrações de carinho e amor nas redes. A pandemia aumentou esse convívio pela necessidade das pessoas se isolarem em suas residências o que criou e reforçou vínculos.

O uso das redes sociais para divulgação dos animais de estimação não é novidade, diversos são os perfis dos bichinhos nas mais diversas redes sociais, mas fomos atrás de um caso de sucesso e amor dessa pandemia: é o caso da Beagle Celeste e sua dona Talitha.

Talitha foi diagnosticada com Coronavírus e precisou ficar em casa por um período e mudar sua rotina de trabalho com o Home Office. Durante a Pandemia ela ganhou a Celeste de presente, uma cadelinha Beagle e a partir daí iniciou-se uma história boa pra cachorro.

A dona, apaixonada pela sua nova parceira teve a ideia de criar um perfil para sua pet nas redes sociais e criou o Instagram Celeste Beagle que hoje já está com mais de mil seguidores e vem conquistando o mundo canino e as redes sociais.

No perfil do Instagram você pode acompanhar as aventuras de Celeste através de stories e fotos super criativas e conceituais, além do canal no Youtube criado especialmente para a Celeste, o canal Celeste The Beagle.

São casos de sucesso como o de Talitha e Celeste que mostram que o isolamento social também pode ajudar os humanos a passar por momentos difíceis e divertir milhares de pessoas.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

20 + catorze =