O Jornal Analítico é um projeto profissional independente que busca através das notícias, opiniões e análises criar um senso crítico que amplie a capacidade de entendimento social do leitor. Sempre com a seriedade que o jornalismo profissional necessita. Amplie-se.

-Publicidade-

Transparência! Mas só nessa parte, ta ok?

2

A pauta desta crise, infelizmente não são as ações que o Governo cria para salvar a população do vírus (pois não cria nada), mas a pornochanchada criada pelo Governo e seus personagens.

E a tal Vídeo Cassetadas, maneira jocosa que estão usando para chamar o vídeo da reunião ministerial devido as aberrações ali ditas, é uma das pautas. E a divulgação deste vídeo na íntegra é um dos motivos de debate.

Divulgar o vídeo na íntegra ou não??

O vídeo é objeto de inquérito, e seu conteúdo sigiloso até então. Determinado assim pelo Decano Celso de Melo, Ministro do STF.

Porém ao ser exibido para investigadores e as partes envolvidas no vídeo, tornou-se de conhecimento público partes do conteúdo e algumas falas e assuntos debatidos na tal reunião que pegaram muito mal para os integrantes do governo.

PUBLICIDADE

Ao saber que durante a reunião Abraham Weintraub defendeu a prisão dos ministros do STF e Damares Alves a detenção de governadores e prefeitos, disse um ministro do STF, sob anonimato:

˜Não era uma reunião, ministerial, era uma reunião de insanos”.

Transparência! Mas só nessa parte, ta ok?
Imagem retirada do portal G1

Muitos entendem se tratar de interesse público e sua divulgação deve ser feita. Porém, a dúvida é: divulgação na íntegra ou apenas as partes que interessam ao inquérito?

Uma vez que foi gravada, tratar de assuntos oficiais e ter gerado denúncias, demissões e mudanças políticas entende-se que é sim de interesse público. O brasileiro quer saber o que aconteceu na tal reunião, embora seja óbvio o teor e conteúdo, vista as diversas falas e aberrações repetidas publicamente por ministros e pelo presidente, participantes da reunião.

Enfim, o conteúdo é no mínimo constrangedor, já que há um pedido do governo pela não divulgação na íntegra da reunião.

O governo alega possuir assuntos de interesse de segurança nacional. A defesa de Moro diz não haver nada na reunião que coloque a segurança nacional em perigo.

Será que existem mais crimes ali? Será que são irrelevantes? Condenam o presidente ou desmentem o ex-Ministro Sérgio Moro?

Cabe ao Ministro Celso de Melo decidir.

Quem defende a transparência e divulgação na íntegra do vídeo demonstra tranquilidade e certeza de que não existe nada ali que possa ou vá contrariar os depoimentos já dados em justiça.

Para nós, cabe apenas aguardar, mas cobrar transparência, sempre! O que não podemos é pedir transparência só do que nos interessa e isso vale para ambos os lados do inquérito.

O resto pode “destruir”, conforme disse o presidente; Justamente o contexto e a ligação das falas que serão fundamentais no inquérito?

A transparência e a publicidade são uns dos princípios na vida pública.

Renan Aversani

PUBLICIDADE

você pode gostar também
2 Comentários
  1. Emilly Xavier Diz

    Realmente, talvez possa até condenar o Jair Bolsonaro e o Moro com a divulgação do vídeo. E o certo seria a publicação na íntegra, pois eles trabalham para nós e não ao contrário, então o certo é todos terem acesso a todas as pautas do que foi conversado no vídeo.

    1. O jornal Analítico Diz

      Disse tudo, temos que cobrar! Combativos

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

quinze + treze =