O Jornal Analítico é um projeto profissional independente que busca através das notícias, opiniões e análises criar um senso crítico que amplie a capacidade de entendimento social do leitor. Sempre com a seriedade que o jornalismo profissional necessita. Amplie-se.

-Publicidade-

Rússia invade Ucrânia

0

Rússia invade Ucrânia em movimento ousado de Putin para intimidar Otan. Entenda mais sobre o cenário.

Rússia invade Ucrânia na madrugada desta quinta-feira (24). Os ataques deixaram mortos, feridos e estimularam a fuga da população para outros países vizinhos. Nações da Europa e os Estados Unidos em resposta anunciaram mais sanções à Rússia e a tensão aumentou ao longo do dia no mundo todo.

As ameaças Russas ocorrem desde 2014 quando Vladimir Putin decidiu retomar o território da Criméia. Porém, desde novembro do ano passado a comunidade internacional debate a iminência de uma invasão russa na Ucrânia.

Essa é uma discussão que envolve herança histórica e cultural e lembra conflitos da época da Guerra Fria. Hoje, pontos não resolvidos foram usados como justificativa para o ataque militar.

Ataque que é injustificável e uma afronta ao direito internacional. Fere a soberania da Ucrânia e causa destruição e morte no país do leste Europeu.

Justificativa de Putin

O ataque da Rússia contra a Ucrânia tem uma justificativa mentirosa por parte de Moscou. Na visão de Putin, a expansão pelo oriente da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) —grupo criado em 1949, após a 2ª Guerra Mundial, para evitar o avanço da União Soviética ao ocidente – encurrala a Rússia em seu território.

O que é uma falsa justificativa, pois a Ucrânia, embora queira adentrar à Otan, ainda não é membro da organização e em momento algum fez menções ou tem pretensão de invadir o território Russo, já que demandaria muita capacidade bélica.

A Ucrânia luta para consolidar sua independência em território Europeu, e ingressar na Otan é um passo importante para tal.

O governo russo divulga informações falsas para sua população alegando combater neo nazistas dentro de Kiev. Desinformar a população para obter apoio é uma tática já conhecida…

Putin vê suas ações como defensivas, pois a entrada da Ucrânia para um bloco como a Otan deixaria a Rússia encurralada geopoliticamente. Para Moscou, invadir a Ucrânia e derrubar o governo Ucraniano é impedir uma aliança Ucraniana com a Otan.

Internamente, a Ucrânia registra confrontos entre setores críticos à Rússia com movimentos que defendem a integração com o país vizinho.

Putin deu apoio a movimentos separatistas em cidades da Ucrânia que fazem fronteira com a Rússia e nesta semana, “reconheceu a independência” das regiões Lugansk e Donetsk, onde há maioria de etnia russa, o que elevou a tensão do embate.

Joe Biden, presidente Norte americano fez pronunciamentos dizendo que a Rússia atacaria a Ucrânia a qualquer momento. A previsão se confirmou ontem à noite, quando o presidente russo anunciou o que chamou de “operação militar especial”. Diversas regiões ucranianas foram bombardeadas, inclusive regiões onde não haviam grupos separatistas. O ataque foi massivo.

O que farão os EUA e a Otan?

E o que farão os países do Ocidente que defendem a soberania Ucraniana e repudiam o ataque Russo?

Por hora, apenas sanções econômicas e comerciais à Russia. Sanções que já existiam, agora ficarão mais pesadas, como anunciou nesta quinta feira (24), Joe Biden em pronunciamento.

A Casa Branca anunciou medidas para impedir que a Rússia faça negócios com as principais moedas do mundo, ao lado de sanções contra bancos e empresas estatais.

Biden, disse que as sanções foram pensadas para impor um impacto de longo prazo sobre a Rússia e para minimizar o impacto sobre os Estados Unidos e seus aliados. O presidente também disse que os EUA estão preparados para fazer mais.

O presidente norte-americano disse que a Otan irá se reunir na sexta-feira para mapear medidas adicionais e reiterou que os Estados Unidos não irão se engajar em uma guerra contra a Rússia, mas que irá atender os compromissos do Artigo 5, de defesa dos parceiros da aliança.

Disse ainda que esse é um momento perigoso para toda a Europa, e que havia autorizado tropas que haviam sido colocadas de prontidão para serem destacadas até a Alemanha.

Os EUA anunciou o envio de sete mil soldados para as fronteiras de países aliados da Otan que fazem fronteira com a Russia.

De fato, era esperado que não houvesse contra ataque militar por parte da Otan no momento, visto que a Ucrânia não faz parte da organização. Porém, é necessário reforçar as fronteiras de países próximos, pois a ofensiva Russa pode, por ventura, ser mais ousada.

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

três × um =