O Jornal Analítico é um projeto profissional independente que busca através das notícias, opiniões e análises criar um senso crítico que amplie a capacidade de entendimento social do leitor. Sempre com a seriedade que o jornalismo profissional necessita. Amplie-se.

-Publicidade-

Round 6: a série coreana que pode entrar pra história da Netflix

0

Depois de estrear na Netflix, a série coreana “Round 6” se tornou a número um do momento na maioria dos países onde o serviço funciona.

Em evento sobre tecnologia que ocorreu nos EUA, Ted Sarandos, CEO da Netflix disse que Round 6 (Squid Game em alguns países), tem grande probabilidade da se tornar a “maior de todas” na história da plataforma, superando a atual campeã, Bridgerton, que teve mais de 82 milhões de espectadores até agora.

Criada pelo coreano Hwang Dong-hyuk, a série mostra uma série de personagens desesperados e sem grana que competem por um prêmio em dinheiro. Apesar da competição ser com brincadeiras de criança (como “cabo-de-guerra” e uma mistura de “estátua” com “pega-pega”), a disputa é violenta e os participantes competem até a morte.

Dong-hyuk, que também escreveu o roteiro e dirigiu a série, é conhecido por navegar entre diversos gêneros cinematográficos – seus filmes mais famosos são um thriller violento (The Crucible), uma comédia familiar (Miss Granny) é um romance histórico (The Fortress).

Para criar a série Round 6, idealizada ao longo de dez anos, o cineasta se inspirou em mangás japoneses que lia em cafés em uma época da vida em que estava sem dinheiro. A ideia, que inicialmente seria um filme, acabou se tornando um projeto maior.

PUBLICIDADE

“Eu falo abertamente que tirei grande inspiração de mangás e animes japoneses ao longo dos anos”, afirmou o diretor à revista Variety.

Entre as histórias que ele gostava de ler, estão os mangás Battle Royale (2000 – 2005) e Liar Game (2005-2015).

Battle Royale é uma história sobre estudantes obrigados a competir em jogos violentos por um regime totalitário. Já Liar Game foca em uma garota que é envolvida em um torneio onde os participantes precisam roubar dinheiro uns dos outros de qualquer forma possível.

“Eu comecei a imaginar como se sentiria se participasse dessas competições. Mas eu achava as disputas muito complexas, então para o meu próprio trabalho eu usei brincadeiras de criança”, disse Hwang Dong-hyuk.

Segundo o diretor, o fato das competições serem simples e fáceis de entender permite que o telespectador preste atenção nos personagens, em vez de se distraírem tentando interpretar as regras.

Produções Coreanas

Assim como outras produções coreanas recentes com sucesso mundial, como o filme Parasita (vencedor do Oscar de 2020), Round 6 tem ao mesmo tempo dramas pessoais tipicamente coreanos e personagens universais, com os quais qualquer pessoa consegue se identificar.

O sucesso de Parasita se deu pelo roteiro desenvolvido no filme que engloba não apenas a enorme desigualdade social e a divisão de classes, mas também retrata o impulso individual(ista) por prosperar, por integrar-se a uma classe social superior e desfrutar de seus privilégios.

Essa temática que engloba problemas e retratos sociais tem sido apontado por críticos como um dos motivos do sucesso da série Rund 6.

O personagem principal da série é Gi-hun, um homem falido, que foi demitido, não teve sucesso em seus negócios e rouba dinheiro da própria mãe.

“Eu queria escrever uma história que fosse uma alegoria, uma fábula sobre a sociedade capitalista, algo que mostrasse uma competição extrema”, disse o diretor à Variety. “Mas eu queria usar aquele tipo de personagem que todos nós já encontramos na vida real.”

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

onze + 18 =