O Jornal Analítico é um projeto profissional independente que busca através das notícias, opiniões e análises criar um senso crítico que amplie a capacidade de entendimento social do leitor. Sempre com a seriedade que o jornalismo profissional necessita. Amplie-se.

-Publicidade-

Responda, Bolsonaro.

0

O Jornal Analítico repudia com veemência os ataques de Jair Bolsonaro aos jornalistas que estão simplesmente exercendo seu trabalho, de maneira legal e garantida por lei.

O jornalista do grupo O GLOBO que foi ameaçado por Jair Bolsonaro, agiu de maneira correta ao questioná-lo sobre os depósitos que a primeira dama, Michelle Bolsonaro, recebeu de Fabrício Queiroz, operador das rachadinhas em todos gabinetes públicos da família Bolsonaro, como aponta o MP.

Conforme divulgado por procuradores do Ministério Público do Rio de Janeiro, Fabrício Queiroz e sua mulher depositaram 89 mil reais na conta da primeira dama Michelle Bolsonaro, além de descobrirem que Queiroz gastou mais de 300 mil em despesas de saúde para tratar seu câncer com dinheiro vivo; prática que vem se demonstrando comum através das investigações que apontam a prática de lavagem de dinheiro realizada por Queiroz, Flavio Bolsonaro e toda família.

Michelle não tem foro privilegiado. Se for investigada, será processada pela primeira instância do Rio e Jair Bolsonaro sabe do risco.

Aliás, vale lembrar que antes de se tornar presidente, Bolsonaro dizia que foro privilegiado é coisa de vagabundo. Hoje, Flávio Bolsonaro, seu filho, recorre das acusações feitas pelo MP alegando ter foro privilegiado e exige ser julgado em outra instância.

PUBLICIDADE

Logo, Flavio Bolsonaro é vagabundo.

Bolsonaro também costumava dizer que bandido bom é bandido morto.

Após serem comprovadas as ilicitudes e os participantes da organização criminosa desmascarados, serão bandidos. Será que Bolsonaro manterá as bravatas? isso é outra pergunta que o tempo responderá.

Mas vamos a pergunta que Bolsonaro não consegue responder:

Por que Michelle recebeu R$ 89 mil de Queiroz e esposa?

Sempre vale relembrar o papel do jornalismo…

O jornalismo tem um papel de extrema importância dentro de uma sociedade democrática: ele serve para informar, levantar questionamentos e criar um senso crítico nas pessoas.

Constantemente agredido pelo presidente da República, o jornalismo sempre demonstrou ser pilar da democracia e da civilidade, já os governos são passageiros. O jornalismo já passou por períodos sombrios da democracia e continua mais forte do que nunca. Incomodar quem deve é e sempre foi papel da imprensa.

Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade

William Randolph Hearst

A imprensa é livre e tem seu direito garantido por lei (que Jair Bolsonaro faz questão de desrespeitar e confrontar).

Bolsonaro, ofensas, xingamentos, ameaças, falácias, mentiras e agressões não nos calarão. Seus atos demonstram seu desespero e despreparo. Suas atitudes, ao ser confrontado, soam como as de um cão, que se sente acoado e ameaçado antes de ser capturado pela carrocinha, que já nem existe mais.

O que existe, são as mais de 115 mil famílias que perderam alguém por conta do vírus que você desdenha, e que hoje ao tentar agredir os jornalistas, agrediu a memória das vítimas fatais, chamando-as de “Bundões”.

“[…] Aquela história de atleta, né, que o pessoal da imprensa vai para o deboche, mas quando pega [covid-19] num bundão de vocês, a chance de sobreviver é bem menor”

Jair Bolsonaro

Bundão é quem foge de perguntas.

Você Bolsonaro, é passageiro e nós faremos de tudo para que a verdade seja sempre elucidada, como deve ser e será. É só questão de tempo. O tempo não recua, assim como nós não recuaremos.

PUBLICIDADE

O Jornal Analítico.

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

dois × quatro =