O Jornal Analítico é um projeto profissional independente que busca através das notícias, opiniões e análises criar um senso crítico que amplie a capacidade de entendimento social do leitor. Sempre com a seriedade que o jornalismo profissional necessita. Amplie-se.

-Publicidade-

Parques e academias de São Paulo reabrem hoje, com restrições.

0

A reabertura de parques e academias de ginástica na cidade de São Paulo está autorizada para hoje (13). Estabelecimentos devem obedecer restrições de horário e de funcionamento para evitar contaminação do novo coronavírus.

O prefeito Bruno Covas (PSDB) havia anunciado no dia 9 de Julho as liberações que ocorrem hoje em toda cidade de Sâo Paulo. Elas se dão a partir da afirmação do próprio prefeito, de que a taxa média de crescimento da Covid-19 vem caindo na capital paulista.

A liberação dos parques municipais não é completa. Apenas 70 dos mais de 100 espaços devem reabrir. Os parques do estado também serão reabertos, porém de forma gradual. Hoje, 9 dos 16 parques estaduais devem começar a receber público.

Todos os espaços funcionarão com capacidade limitada e horário reduzido. Com exceção dos parques estaduais Zoológico, Zoo Safari e Jardim Botânico, todas as áreas terão acesso permitido apenas em dias de semana, fechando aos sábados, domingos e feriados.

Os locais terão um limite de 40% da capacidade total, com controle de entrada e uso de máscara obrigatório. As atividades conjuntas serão proibidas e bebedouros, parquinhos e espaços para esportes coletivos continuam interditados. Monitores e agentes de segurança dos parques do estado de São Paulo irão orientar e impedir que visitantes se aglomerem.

PUBLICIDADE

No caso de parques naturais e áreas de preservação, o acesso pode ser reduzido a dias específicos e exigir agendamento prévio.

Parques e academias de São Paulo reabrem hoje, com restrições.
Reabertura de parques da cidade de São Paulo

Parques como o Trianon, Guarapiranga e Chico Mendes, continuam fechados. Confira abaixo a lista completa dos parques que continuarão interditados:

Trianon, Guarapiranga, Previdência, Nabuco, Lina e Paulo Raia, Rodrigo de Gásperi, Vila Guilherme, Luiz Carlos Prestes, Severo Gomes, Chico Mendes, Jardim Felicidade, Santo Dias, Cidade de Toronto, Ermelino Matarazzo, Colinas de São Francisco, Jacintho Alberto, Cordeiro Martin Luther King, Castelo, Nove de Julho, Shangrilá, Zilda Natel, Guaratiba, Vila Sílvia, Pinheirinho D’Água, Herculano, Guanhembu, Praia de São Paulo, Casa Modernista, Mário Covas, Leopoldina, Benemérito Brás, Águas, Senhor do Vale, Central do Itaim, Nebulosas, Tatuapé, Chuvisco e Nascentes do Ribeirão Colônia.

Parques temáticos

Parques temáticos e de diversão estaduais que estiverem em regiões na fase verde do plano São Paulo, poderão funcionar a partir de 12 de outubro, mas com restrição de público e seguindo orientações de segurança, como distancia mínima entre pessoas e uso de máscara obrigatório.

Academias

Em protocolo divulgado no Diário Oficial do município neste sábado (11), o prefeito Bruno Covas definiu regras de reabertura para as academias de ginástica em São Paulo.

Segundo as novas normas, os frequentadores só poderão comparecer mediante horário marcado. Enquanto perdurar o Plano São Paulo, os estabelecimentos deverão permanecer abertos apenas seis horas por dia.

Enquanto a cidade de São Paulo permanecer na fase amarela, as academias poderão funcionar com 30% da capital. Quando progredir para a fase verde, esse percentual poderá ser elevado para até 50%.

Em trecho, o protocolo estabelece certas regras de funcionamento “Em todo caso, o número total de pessoas dentro do estabelecimento esportivo não poderá ser maior do que uma pessoa por cada 8 metros quadrado, durante a fase amarela, e uma pessoa por cada 6 metros quadrado, durante a fase verde” e ainda “Não permitir aglomerações em nenhuma hipótese, adotando-se essa normativa como princípio geral em todas as atividades do estabelecimento”.

Outra diferença é a proibição de contato físico durante a prática de exercícios, mesmo que para orientação de professores. O distanciamento mínimo exigido entre as pessoas, que precisarão estar utilizando máscaras durante todo o tempo, é de, no mínimo, 1,5 metro.

O protocolo da Prefeitura de São Paulo exige, ainda, que as academias congelem os planos de pessoas que integram os grupos de risco para a doença, que também não estarão autorizadas a se exercitarem nos estabelecimentos.

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

1 × três =