O Jornal Analítico é um projeto profissional independente que busca através das notícias, opiniões e análises criar um senso crítico que amplie a capacidade de entendimento social do leitor. Sempre com a seriedade que o jornalismo profissional necessita. Amplie-se.

-Publicidade-

Reabertura de bares, fritura de Feder, comemoração do 04 de Julho e mais…

0

Fique sabendo das últimas notícias no Brasil: Reabertura de bares no Rio de Janeiro; fritura de Renato Feder, cotado para assumir MEC; Comemoração do feriado de 04 de Julho pelo presidente; Capitão Augusto (PL-SP) minimiza corrupção e diz que rachadinha é uma contribuição voluntária; Confira também a análise.

Reabertura de bares e restaurantes no Rio de Janeiro.

O Rio de Janeiro reabriu nesta última quinta-feira (2), bares e restaurantes em meio à Pandemia. O momento deveria ser de cautela, mas os episódios que foram registrados no Leblon, bairro nobre da cidade, foram de falta de cuidados com a disseminação do novo Coronavírus, de negligência por parte dos órgão fiscalizadores e de questionamentos referentes aos aprendizados que a Pandemia poderia nos trazer.

reabertura de bares
Reprodução – Abrasel

PUBLICIDADE

Com a reabertura de bares em meio ao caos na saúde pública o cenário foi recheado de absurdos. Não foram poucos os registros de pessoas aglomeradas, sem máscaras e sem os devidos cuidados de higiene em bares localizados no Leblon. Os estabelecimentos, que são obrigados a adotar as medidas sanitárias, que seguem um protocolo de reabertura de bares e restaurantes, não foram fiscalizados. Observou-se principalmente o descaso com os devidos cuidados por parte dos frequentadores.

No segundo dia de reabertura, sexta-feira (3), as cenas se repetiram em outros lugares da cidade. Na Barra da Tijuca, por exemplo, público em bar cantou e intimidou fiscais

Entoando os versos “eu não vou embora”, os frequentadores de um bar na Avenida Olegário Maciel, na Barra, não se intimidaram com a fiscalização da Vigilância Sanitária. Os frequentadores continuaram sem máscaras, e não respeitando o distanciamento. A cena foi de afronta e intimidação contra os agentes de fiscalização da prefeitura e demonstrou a falta de civilidade e empatia por parte das pessoas.

Segundo a prefeitura, três estabelecimentos foram fechados. Outros 23 estabelecimentos foram inspecionados, a ação resultou em 28 multas.

Um bar em Botafogo e quatro no Leblon foram infracionados “por manterem mesas e cadeiras dispostas de forma irregular, promovendo a aglomeração e a ocupação ilegal”.

Ainda no Leblon, quatro multas foram aplicadas por falta de licença sanitária, duas por falta de insumos para a higienização das mãos, duas pelo não cumprimento do distanciamento de dois metros entre as mesas, uma por aglomeração e uma por alimentos vencidos, com 35 quilos de produtos descartados.

Feder no Ministerio da Educação e reação de núcleo olavista

O secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, é o nome mais cotado para assumir o cargo de Ministro da Educação. Feder deve ser o quarto ministro da Educação durante governo Bolsonaro.

Embora o nome de Feder seja visto com bons olhos por ala parlamentar, o grupo ideológico que compõe o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) se mostra contra a nomeação e inicia processo de fritura do nome.

Filhos de Bolsonaro, “olavistas” e religiosos pressionam Bolsonaro contra o nome de Feder no Ministério da Educação. Os chamados olavistas, alinhados ao astrólogo Olavo de Carvalho – um dos principais influenciadores da família Bolsonaro – argumentam que Feder teria relações com políticos adversários de Bolsonaro, como João Doria, além de acusá-lo de não ser conservador “o suficiente”.  

Esse grupo acredita que Feder não dará continuidade a uma gestão ideológica no MEC- como fez Abraham Weintraub. Acusações são fundamentadas em um livro que Feder escreveu quando tinha 25 anos, com defesa de temas liberais. 

Comemorar 04 de Julho? Brasil ou USA acima de tudo?

Em pleno agravamento da Pandemia no país e com o número de mortos próximo aos 65 mil, o Presidente participou de almoço em celebração ao feriado americano do dia 04 de Julho, independência dos Estados Unidos.

PUBLICIDADE

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), ministros do governo e seu filho e deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) realizaram comemoração do 04 de Julho, dia da independência dos Estados Unidos em um almoço neste sábado (4), em Brasília, com o embaixador norte-americano, Todd Chapmann.

Entre os ministros que acompanharam Bolsonaro no almoço estavam: Braga Netto (Casa Civil), Ernesto Araújo (Relações Internacionais), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e Fernando Azevedo (Defesa).

Depois de participar do almoço, Bolsonaro utilizou uma rede social para parabenizar o presidente Donald Trump e o povo norte americano pela data comemorativa.

Em postagem em suas redes sociais, Bolsonaro disse que ele e Trump, como “líderes das duas maiores democracias ocidentais”, trabalham pelos “ideais de liberdade, democracia e dignidade humana”.

Em fotos divulgadas pelo próprio presidente, todos os participantes do encontro aparecem sem máscaras, medida sanitária que minimiza a disseminação do vírus.

Deputado aliado de Bolsonaro, Capitão Augusto (PL-SP) diz que rachadinha é uma contribuição voluntária dos assessores

Ao comentar a prisão de Fabrício Queiroz, o deputado federal Capitão Augusto (PL-SP), que preside a Frente Parlamentar da Segurança Pública – a famosa bancada da bala – minimizou a rachadinha.

“Por incrível que pareça, tudo isso por uma suposta rachadinha, que é uma contribuição voluntária dos assessores supostamente repassada para Flávio Bolsonaro. Não estamos falando de [desvios de] bilhões de reais, como os que aconteciam na gestão do PT, com desvios da Petrobras, do BNDES, etc”

Capitão Augusto (PL-SP)

O Deputado Federal sem pudor, demonstra ser a favor da prática ao fazer tal comentário e minimizar a corrupção.

Rachadinha é o termo utilizado para o desvio de salários de servidores de gabinetes políticos nas assembleias do Rio de Janeiro. O filho do presidente, Flavio Bolsonaro e seu ex- assessor, Fabrício Queiroz são centro das investigações e de denuncias da prática.

PUBLICIDADE

O que pensa o Jornal Analítico

É incrível que em meio ao caos que a Pandemia e a péssima administração do governo federal causam no país, as pessoas não se importem com a disseminação e com o agravamento da doença. É triste ver que a reabertura de bares e restaurantes nos fez perceber que a população nada aprendeu.

Já do presidente e de seu governo nada podemos esperar. Nada nos surpreende mais. O país está mergulhado em uma crise sem tamanho, sem ministro da educação a um ano e meio, visto que Weintraub nada fez; sem ministro da Saúde e com mais de 1,5 milhões de infectados e 65 mil mortos.

A ala ideológica, composta pela família Bolsonaro, religiosos e “olavistas” se demonstra um câncer para o país. Ao boicotar o nome de Renato Feder para o cargo de ministro da educação por simplesmente o considerarem fora dos padrões olavistas, demonstram que o projeto de governo não é visando o bem do país e sim em disseminar suas ideologias controversas à realidade mundial.

A psicopatia do presidente fica clara quando ele resolve comemorar um feriado norte americano durante período de Pandemia e com o número de infectados e mortos subindo a cada dia.

O descaso dele com a população é nítida e quem não percebe o desdém de Bolsonaro com a situação do país precisa urgentemente rever seus conceitos. O presidente faz estragos na saúde, na educação, no meio ambiente e na área econômica, além de sujar o nome do país e espantar investidores, suas políticas públicas e os constantes escândalos, denúncias e investigações que envolvem seu governo e sua família colocam em jogo a credibilidade nacional.

Fontes : G1/ O Globo/ Blog da Andreia Sadi/ O Antagonista

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

quatro × 1 =