O Jornal Analítico é um projeto profissional independente que busca através das notícias, opiniões e análises criar um senso crítico que amplie a capacidade de entendimento social do leitor. Sempre com a seriedade que o jornalismo profissional necessita. Amplie-se.

-Publicidade-

Petrobras reajusta preço e caos toma conta do governo

0

Petrobras reajusta preço do combustível, seguindo política de preços internacionais e governistas entram em parafuso. Confira

A Petrobras anunciou reajuste no preço dos combustíveis nesta sexta feira (17). A gasolina será reajustada em 5,18% e o Diesel em 14,26%.

Os novos valores passam a valer a partir de sábado (18). O litro da gasolina passou de R$ 3,86 para R$ 4,06 — aumento de 5,18%. Já para o diesel, a elevação foi de R$ 4,91 para R$ 5,61 por litro — alta de 14,26%. O valor do GLP foi mantido.

O reajuste já estava previsto seguindo a lei das estatais, que obriga a empresa a seguir a paridade dos preços internacionais, visto que o valor do combustível estava defasado. O diesel ficou 39 dias sem reajuste e a gasolina, 99 dias.

Governo entra em parafuso

PUBLICIDADE

Logo após o reajuste ser anunciado, governistas começaram a gritaria em suas redes sociais. A tática bolsonarista é jogar pra galera, literalmente. A ideia é tentar tirar do presidente a culpa do péssimo momento econômico e eleger a Petrobras como culpada, terceirizando os problemas do governo.

A cartada mal pensada e desesperada em limitar o ICMS foi anulada em menos de uma semana, o que era óbvio, já que o problema dos altos preços não é o ICMS, mas sim a política adotada no país.

O projeto sobre os limites do ICMS foi puro suco eleitoreiro, mas que prejudicará a população nos próximos anos, visto que a verba da arrecadação do imposto iria para Saúde e Educação.

Boa parte dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) – principal mecanismo de financiamento da educação pública – vêm do ICMS. 

O ICMS é a principal fonte de arrecadação dos estados. O Comitê Nacional de Secretários da Fazenda (Comsefaz) calcula, por exemplo, que a medida deve causar perdas de R$ 83,5 bilhões na arrecadação.

Com o novo reajuste dos combustíveis a mentira foi desmascarada: ICMS não reduz preço do combustível.

Bravata e descontrole

O presidente da Câmara dos deputados Arthur Lira, principal aliado do governo no legislativo soltou uma nota em suas redes sociais, quase que teatral.

“A República Federativa da Petrobras, um país independente e em declarado estado de guerra em relação ao Brasil e ao povo brasileiro, parece ter anunciado o bombardeio de um novo aumento nos combustíveis”, escreveu Lira, que anunciou que fará uma reunião de líderes na próxima segunda-feira (20) para tratar do assunto.

O que Lira esquece de mencionar é que essa política de preços adotada pela estatal foi obra do próprio centrão, do qual ele é líder.

Todo o show e gritaria tem apenas um motivo, eleicão. A alta dos combustíveis é um risco para os planos de reeleição de Bolsonaro pelos impactos na popularidade do governo em ano eleitoral.

Bolsonaro demonstrou sua total falta de senso de realidade e todo seu desespero, chegou a dizer em seu Twitter que irá pedir uma CPI da Petrobras. O presidente demonstra mais uma vez ser patético e amador.

A cada aumento nos preços, Bolsonaro se vê mais distante da reeleição. Porém, as únicas coisas que o presidente sabe fazer são: motociatas, esbravejar em seu Twitter e terceirizar a culpa. Nada mais.

O Brasil está lascado!

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

seis − dois =