O Jornal Analítico é um projeto profissional independente que busca através das notícias, opiniões e análises criar um senso crítico que amplie a capacidade de entendimento social do leitor. Sempre com a seriedade que o jornalismo profissional necessita. Amplie-se.

-Publicidade-

Nova nota de 200 reais: Qual o sentido nisso?

0

Lobo Guará em nova nota de 200 reais foi anunciada pelo Banco Central (BC), pegando muita gente de surpresa e fazendo muita gente se questionar: mais dinheiro impresso, vai resolver? A notícia inclusive já virou meme e deixou economistas com medo das possíveis consequências.

Se você como eu também se questionou do porquê de o Banco Central ter criado essa nova nota de 200 reais, o próprio BC deu alguns motivos. Um deles é de que durante essa pandemia houve um grande aumento do número de papel moeda nas mãos do brasileiro, e o auxílio emergencial, que liberou R$ 600 para milhões de solicitantes, foi a grande causa.

O Ministério da Economia já havia informado que para realizar os pagamentos, o BC precisava de um reforço de R$ 437,9 milhões no caixa.

Mas dinheiro na mão, em época da crise, não é vendaval. O fato de parte da população ter demandado mais dinheiro impresso e o deixado guardado, durante a crise, como medida de proteção, também foi importante para a decisão, porque há menos dinheiro circulando nas ruas.

Sobre isso a diretora de administração do Banco Central, Carolina de Assis Barros, disse em entrevista coletiva: “A gente percebeu três motivos principais para o aumento do entesouramento: pessoas e empresas fizeram saques para formação de reservas; no comércio, de forma geral, houve diminuição das compras após o início das medidas de isolamento; e os beneficiários do auxílio emergencial não retornaram dinheiro ao sistema bancário com a velocidade que esperávamos”.

PUBLICIDADE

Outra razão para a criação dessa nova cédula é a de criar uma nota que possua um poder de compra maior do que a de R$ 100, que perdeu muito valor desde 1994, devido a inflação. Para se ter uma ideia, os R$ 100 em 1994 valem atualmente o equivalente a R$ 621.

Também existe o fator câmbio: o governo quer criar uma cédula que facilite a troca com outras moedas estrangeiras, já que o real é muito desvalorizado. Veja, 100 reais hoje em dia, não valem 20 dólares nos EUA; Para o Banco uma nota maior facilitaria essa troca.

BANCO CENTRAL LANÇARÁ NOVA NOTA DE 200 REAIS COM IMAGEM DO LOBO-GUARÁ
Reprodução: Canal UOL no Youtube.

A nova cédula brasileira deverá entrar em circulação no final de agosto e valerá aproximadamente U$ 39. A previsão é que sejam impressas 450 milhões da nova nota de 200 reais ainda este ano, equivalendo a R$ 90 bilhões.

Mas nem tudo é tão simples assim…

Nova nota de 200 reais: Qual o sentido nisso?

Ah, se tudo fosse simples, né? Se no menor sinal de crise, imprimir milhões de dinheiro fosse resolver problemas econômicos, seria muito fácil. Mas não é assim que funciona.

Emitir dinheiro é algo bem complexo, que envolve muitos fatores e pode trazer consequências nada boas para a economia. O problema é que quando a moeda perde valor, imprimir mais, não resolve nada. O excesso de dinheiro no país pode gerar um problemão!

A pior dessas consequências seria uma hiperinflação. Quem viveu nas década de 80 lembra bem de como tudo ficou absurdamente mais caro e de como o dinheiro valia pouco. A moeda da época era o Cruzeiro e os valores das notas eram diversos: de 1 até 5.000. Na época a inflação chegou a bater os 80% ao mês e impressionantes 1.735% ao ano, em 1985.

hiperinflação na década de 80

Quando a impressão de dinheiro não é acompanhada pelo aumento na produção de bens e serviços, o que está sendo causado pela crise do novo coronavírus, o resultado pode ser uma inflação descontrolada, já que as pessoas têm mais dinheiro “em mãos”, mas os bens e serviços disponíveis continuam os mesmos.

O resultado é a desvalorização do Real e o aumento repentino dos preços, que pode levar a uma crise hiperinflacionária.

Mas segundo Carolina, diretora de administração do BC não há relação entre a colocação da nova nota de 200 reais e o controle da inflação. Para ela “Nossa inflação está baixa e estável. O que temos é tão somente o Banco Central agindo preventivamente porque a população pode vir a demandar mais numerário [dinheiro em espécie]”.

Quando os países recorrem à impressão de dinheiro?

PUBLICIDADE

Como último recurso cabido, os países recorrem à impressão de dinheiro como alternativa para pagar a conta de crises econômicas e financiar os gastos públicos. Foi exatamente o que aconteceu esse ano com os EUA e com a União Européia, na tentativa de minimizar a crise gerada devido a pandemia do novo coronavírus.

Mas devemos lembrar que esses países possuem moedas fortes, valorizadas e com poucos riscos para investimentos.

Lembremos também que antes disso, existem várias outras ações que ajudam a colocar mais dinheiro em circulação, como por exemplo disponibilizar mais recursos para os bancos e baixar a taxa básica de juros, a nossa Taxa Selic.

Faz sentido?

Hoje em dia, com o aumento exponencial do e-commerce e das formas de pagamentos digitais é meio que andar na contramão, não?

Está bem confusa a justificativa dessa criação de uma nova nota de 200 reais – valor bem alto, diga-se de passagem – que a maioria das pessoas nem chegará a ter.

As pessoas tendem a ver o problema da economia estar parada exclusivamente no isolamento social, e as medidas de fechamento do comércio, por isso tendem a tomar medidas para reanimar o mercado. Mas seria esse o real problema? Acredito que não. O grande problema disso tudo é o vírus em si.

Enquanto não forem tomadas medidas eficazes para diminuir as curvas de contaminação e de mortes pela covid-19, continuaremos patinando na lama. Continuaremos desempregados, com medo de gastar dinheiro, por não saber o dia de amanhã. Uma coisa leva a outra e o mais inteligente é sempre cortar o mal pela raiz.

Uma hora a pandemia acabará, cedo ou tarde, mas enquanto ela não passar, a emissão de bilhões de reais, em uma nova nota de 200 reais, será apenas mais dinheiro parado. E se a teoria virar prática, teremos sim uma bola de neve.

O que dizem os economistas?

PUBLICIDADE

Para o ex-Ministro da Fazenda Henrique Meirelles, tá tudo sob controle. Em 2020, ele declarou em entrevista ao Dinherama que o Banco Central tem condições de emitir moeda para recompor a economia após a crise do coronavírus, e que não há risco de inflação por conta do IPCA baixo.

Josué Pellegrini, analista do Instituto Fiscal Independente, acha que uma impressão de dinheiro no Brasil resultaria em inflação e geraria uma sucessão de problemas: empobrecimento da população, congelamento dos investimentos, fuga de capitais do País e alta do dólar. Ele chegou a afirmar em entrevistas passadas que a prática pode virar uma bola de neve, pois, conforme o dinheiro perde valor, o Governo se vê obrigado a imprimir mais.

Inclusive o próprio presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, resiste à ideia de imprimir dinheiro para aliviar a crise no Brasil. Em entrevista ao Valor Investe de 2020, ele afirma que “a ideia de imprimir dinheiro porque a inflação está baixa é um argumento perigoso”, contrariando o ex-ministro Henrique Meirelles.

Lobo Guará

Nota de 200 reais Lobo guará
Como seria nova nota de 200 reais

Se você ficou curioso sobre o motivo dessa notícia ter virado meme, aí vai: O Lobo Guará. Esse será o animal que fará companhia ilustre à efígie da República. O animal em extinção, será estampado no verso da nova nota de 200 reais, que ainda não ganhou divulgação de seu design.

Os internautas não receberam muito bem a notícia e propuseram melhores representantes para a cédula. O resultado foi hilário. Confira:

Vira-lata caramelo na nova nota de 200 reais
Nova nota de 200 reais: Qual o sentido nisso?
Guaraná com bolo de fubá na nova nota de 200 reais
Louro José na nova nota de 200 reais

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

treze − 3 =