edf8329we what is the ashley madison database do you need a credit card for ashley madison how do i find a specific person on zoosk
O Jornal Analítico é um projeto profissional independente que busca através das notícias, opiniões e análises criar um senso crítico que amplie a capacidade de entendimento social do leitor. Sempre com a seriedade que o jornalismo profissional necessita. Amplie-se.

-Publicidade-

Inflação bate recorde e atinge dois dígitos

0

Índice que mede a inflação, o IPCA sobe 1,16% em setembro, maior nível para o mês desde o Plano Real.

Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) — que mede a inflação oficial do país –, foi de 1,16% em setembro e é o maior para o mês desde 1994, no começo do Plano Real, quando o índice foi de 1,53%.

Variação IPCA

O descontrole da economia reflete no índice acumulado de 12 meses, em que a inflação já atinge os dois dígitos: o índice atingiu 10,25%.

O valor fica muito acima do teto da meta estabelecida pelo governo, de 5,25%. O centro da meta é de 3,75% com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

PUBLICIDADE

Trata-se da primeira vez que o índice atinge dois dígitos nesse período em cinco anos e meio.

A expectativa do mercado para o mês ficava em torno de uma alta de 1,25%.

Os Vilões

A conta de luz foi o principal responsável pelo aumento de setembro, devido à nova bandeira tarifária anunciada pela Aneel em meio à crise hídrica.

Chamada “escassez hídrica”, a nova bandeira acrescenta R$ 14,20 na conta de luz a cada 100 kWh consumidos ante os R$ 9,49 da bandeira vermelha patamar 2 que, até então era a tarifa mais alta.

“A energia elétrica teve de longe o maior impacto individual no índice no mês, com 0,31 ponto percentual, acumulando alta de 28,82% em 12 meses”, explica o gerente do IPCA, Pedro Kislanov, em comunicado.

O valor da energia elétrica impactou o grupo habitação do índice, que teve alta de 2,56% no mês.

Esse grupo faz parte dos oito que apresentaram alta em setembro, de um total de nove pesquisados pelo IBGE.Variação IPCA / IBGE

Outro destaque do mês foi o botijão de gás, que já acumula alta de 34,67% em 12 meses. Em setembro, o item subiu 3,91%.

O IBGE destaca ainda o comportamento do grupo transportes, cuja alta acelerou a 1,82% no mês, pressionada pelos combustíveis. O subitem subiu 2,43% em setembro, influenciado por gasolina (2,32%) e etanol (3,79%).

O IBGE ressalta que a gasolina já aumentou 39,60% em 12 meses, e o etanol, 64,77%. Também subiram no mês o gás veicular (0,68%) e o óleo diesel (0,67%).

Já as passagens aéreas (28,19%) tiveram a maior alta entre os itens não alimentícios no mês, após queda de 10,69% em agosto, registrando o terceiro maior impacto individual no índice geral, diz o instituto.

Os preços dos transportes por aplicativo avançaram 9,18% em setembro. No mês anterior, haviam subido 3,06%.

O que pensa o Jornal

A inflação destrói o poder de consumo da população e deteriora a economia. Mas o que gera a disparada da inflação é a péssima gestão do governo que através da instabilidade política e a incompetência para gerir o país gera desconforto nos investidores e reduz a credibilidade da economia.

PUBLICIDADE

Com o risco Brasil alto, o Real se desvaloriza muito se comparado ao dólar, tornando o preço de produtos derivados de commodities, como petróleo por exemplo, impraticáveis.

A população sofre para pagar as contas e fazer compras básicas. A .fome voltou a bater na porta de milhões de brasileiros.

Dados revelam que, entre 2018 e 2020, a prevalência de insegurança alimentar grave atingiu 7,5 milhões de brasileiros. No período entre 2014 e 2016, esse número era de 3,9 milhões de brasileiros.

Se a conta incluir a prevalência de insegurança alimentar moderada ou grave, já são 49,6 milhões de brasileiros impactados. Em 2014, eram 37,5 milhões de pessoas.

Em meio aos problemas que a inflação e o real desvalorizado trazem para a população, o ministro da economia lucra com seu dinheiro em paraísos fiscais e cada vez que abre a boca para declarar algo, demonstra seu desprezo pela população pobre.

É notória a necessidade de dar um fim a esse governo que já é o pior da história da República. Os livros de história dirão que Jair Bolsonaro foi um tropeço na história da democracia brasileira.

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

dezessete − 2 =