O Jornal Analítico é um projeto profissional independente que busca através das notícias, opiniões e análises criar um senso crítico que amplie a capacidade de entendimento social do leitor. Sempre com a seriedade que o jornalismo profissional necessita. Amplie-se.

-Publicidade-

Homem morre e tem corpo coberto por guarda-sóis em mercado

0

Homem morreu na ultima sexta-feira (14), em mercado da rede Carrefour e teve corpo coberto por guarda-sóis. O homem era prestador de serviços e morreu enquanto trabalhava em unidade do Recife. Nas redes sociais, o caso gerou revolta.

Moisés Santos promovia produtos alimentícios no local quando sofreu um mal súbito e morreu. A história já seria triste por si só, mas pelo incrível que pareça, para manter o local em funcionamento e as vendas funcionando, funcionários bloquearam o acesso visual ao corpo de Moisés com tapumes e guarda-sóis, apenas.

O mercado manteve o funcionamento. O corpo de Moisés ficou no local das 8h às 12h, até ser retirado pelo IML. A operação da rede, no entanto, foi muito criticada no Twitter e no Facebook.

PUBLICIDADE

“e a responsável ainda mandou vamos circular é vida que segue e o corpo do nosso amigo no chão parabéns Carrefour da torre pé é assim que vocês respeita o ser humano”

Fabiana Conceição re (@fabianaconcer) August 16, 2020.

Confirmando o fato ocorrido, nos comentários de diversas postagens, o Carrefour lamentou a morte de Moisés e anunciou a mudança de protocolos, determinando o fechamento de lojas em situações como a ocorrida na capital pernambucana.

“Respeitamos e nos preocupamos muito com todos, e sentimos muito pelo falecimento do senhor Moisés. Informamos que os protocolos para que as lojas sejam fechadas quando fatalidades como essa acontecem já foram alterados, e estamos à disposição para apoiar a família do senhor Moisés”

Rede Carrefour via Facebook

O que pensa o Jornal

O triste e desumano fato que ocorreu nesse hipermercado demonstra o descaso e a banalização da vida em prol das vendas, dos lucros. O Carrefour e seus protocolos tratou seu Moisés como um produto que cai no chão e suja o corredor, a espera de um funcionário do setor da limpeza.

Nada muito diferente da postura do governo federal quando em nome da economia e de uma falácia de que o isolamento social seria prejudicial ao país, minou o isolamento e as medidas sanitárias no combate ao coronavírus e aceitou jogar as pessoas para o vírus e para a morte em nome de uma economia duvidosa. Um projeto.

O país já soma mais de 110 mil mortos e segue com altos níveis diários de mortes decorrentes da Pandemia. A necro política imposta resultou nesses números.

Quando paramos para pensar em representatividade e nos deparamos com casos desse tipo como o do seu Moisés, percebemos que a sociedade escolheu aquilo que melhor lhe representava para ser seu governo.

homem morre corpo guarda-sóis
Seus Moisés durante serviço – imagem Twitter

Tristeza, desilusão, decepção e frustração. Esses são os sentimentos.

“E se acabou no chão feito um pacote tímido Agonizou no meio do passeio náufrago Morreu na contramão atrapalhando o público”

Trecho da música Construção – Chico Buarque

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

dezessete − catorze =