O Jornal Analítico é um projeto profissional independente que busca através das notícias, opiniões e análises criar um senso crítico que amplie a capacidade de entendimento social do leitor. Sempre com a seriedade que o jornalismo profissional necessita. Amplie-se.

-Publicidade-

Fundos de Investimentos, por que tê-los em sua carteira de negócios?

2

Os fundos de Investimentos são ótimas opções para quem busca novas oportunidades em ampliar seu capital e está atrás de uma independência financeira a longo prazo. Veja suas vantagens:

Adquirir fundos de investimentos se tornou uma excelente opção no cenário econômico atual para quem busca ampliar sua carteira de negócios, com várias diversificações e vantagens. Os fundos são uma opção capaz de agradar diversos perfis de investidores. De um lado, eles são simples – e, por isso, adequados para quem está querendo sair da poupança e começar a fazer aplicações mais rentáveis. De outro, há fundos sofisticados, para quem já está habituado ao mercado financeiro.

Cenário investidor brasileiro

No Brasil o número de investidores nunca foi algo expressivo, não temos uma cultura e condições sociais que nos possibilitam investir. Os números passaram por nuances na ultima década. Com uma taxa de investimentos média durante o período 2010-2014 de 20,5% do PIB à uma recessão que se iniciou no segundo trimestre de 2014 e foi até o fim de 2016, a taxa de investimento desabou, sendo de 15,5% no primeiro trimestre de 2019, portanto 5 pontos percentuais menor que a média do período 2010-2014. Essa queda se explica pelos últimos quatro anos (2014-2017) de queda real dos investimentos e instabilidades políticas como o período pós impeachment.

PUBLICIDADE

Ao se comparar o Brasil com dados mundiais, somos um dos piores em taxa de investimentos. De acordo com dados do World Economic Outlook, do FMI, aproximadamente 90% dos países do mundo (152 países dentro de uma amostra total de 172 países) apresentaram uma taxa de investimento maior do que a do Brasil em 2018. Apenas 19 países, apresentaram um desempenho pior do que o brasileiro no ano passado, 2019.

Embora o histórico de investidores no Brasil não seja um dos melhores, na nossa realidade os fundos são considerados uma das melhores categorias de investimentos. Porque? As vantagens dos Fundos de investimentos é que eles possuem gestão profissional da carteira de negócios que possibilitam diversificar os investimentos, mesmo para quem tem pouco dinheiro. Além de que os fundos possuem um CNPJ próprio. Isso significa que os recursos depositados pelos investidores são mantidos em uma estrutura separada, apartada do gestor ou do administrador. Assim, se alguma dessas instituições quebrar, o dinheiro do fundo está protegido.

Quer investir em fundos de investimentos, mas não sabe muito sobre o assunto?

Fundos de investimento
Fundos de Investimentos, o que são e como investir – imagem de Órama

Se você chegou até aqui na leitura é porque se interessou na possibilidade e merece mais explicações sobre como funcionam, quanto custam, quem os administram, como aplicar. Confira:

Como funcionam

Fundo de Investimento é uma espécie de “condomínio” de investidores, vamos entender: Eles reúnem os recursos de diversas pessoas, para que sejam aplicados em conjunto no mercado financeiro e de capitais. Assim como acontece nos condomínios, os condôminos empregam seu dinheiro para que o síndico utilize o capital em melhorias e em assuntos específicos recorrentes ao condomínio. Porém como estamos falando de investimento, existe o retorno em dinheiro, e os ganhos obtidos com as aplicações são divididos entre os participantes, na proporção do valor depositado por cada um.

A soma do dinheiro dos investidores forma o patrimônio do fundo (seria um fundo de caixa, usando o exemplo do condomínio) que é aplicado por uma instituição ou profissional gestor (síndico). O gestor sempre deve ter em vista a perspectiva de retorno, o nível de risco e a liquidez de cada papel. Também precisa considerar a política de investimento e os objetivos definidos no regulamento do fundo. 

Os fundos podem investir o patrimônio em ativos de vários tipos, como ações, CDB’s, debêntures – papéis emitidos por outras empresas- moedas, derivativos, setores econômicos e até investimentos estrangeiros. Mas existem algumas regras gerais sobre a concentração de investimentos, com o objetivo de proteger os investidores e quem fiscaliza e regulamenta tais regras é a Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais).

Tipos de fundos

Os fundos de investimentos são classificados em alguns tipos distintos, dependendo das aplicações que predominam na composição da carteira e das estratégias que adotam. Essa classificação facilita o trabalho do investidor na hora de escolher.

  • Se seu objetivo é aplicar em ações de empresas com patrimônios abertos, basta que ele avalie as opções incluídas na categoria fundos de ações.
  • Se seu objetivo é relacionado a moedas como dólar, euro, por exemplo, existe a categoria de fundos de investimentos cambiais.
  • Se você prefere um fundo mais abrangente existe a categoria de fundos de Multimercado que realizam aplicações em renda fixa, câmbio, ações e derivativos.
  • Já os fundos de renda fixa são considerados de baixo risco, pois aplicam o patrimônio em títulos públicos do Governo Federal que costumam perseguir a taxa de rentabilidade do CDI, principal referência das aplicações de renda fixa, a taxa acompanha de perto a Selic. CDI (Certificado de Depósito Interbancário).
  • Existem também os fundos de previdência, neles são aplicados os recursos dos investidores que possuem planos de previdência privada. Essa categoria de fundo envolve alguns benefícios tributários, que visam estimular as pessoas a economizarem dinheiro no longo prazo, especialmente para a aposentadoria.
  • fundo imobiliário reúne investidores interessados em aplicar patrimônio em empreendimentos imobiliários sem ter de, necessariamente, comprar um imóvel diretamente. Os fundos de investimentos imobiliários tem uma peculiaridade, eles são fechados – e, por isso, o resgate de cotas não é permitido. Muitos deles, no entanto, são listados na bolsa de valores e negociados como ações. O rendimento distribuído por essas carteiras é isento de Imposto de Renda.

PUBLICIDADE

Algumas das principais administradoras e gestoras

Para informar você que está procurando uma administradora ou gestora para realizar seus investimentos, mas não sabe quais são as melhores, aqui vão algumas das melhores opções de instituições administradoras e gestoras, segundo ranking ANBIMA. O ranking é divulgado mensalmente no 14º dia do mês.

LAYOUT TABELA CONSOLIDADA PELA ANBIMA

BB DTVM S.A
ITAU UNIBANCO SA
BRADESCO
INTRAG
CAIXA
BEM
BANCO SANTANDER (BRASIL) SA
BNY MELLON SERVICOS FINANCEIROS DTVM SA
BTG PACTUAL
CREDIT SUISSE HEDGING-GRIFFO COR VAL S.A
BRL DTVM
SAFRA
OLIVEIRA TRUST DTVM
BNP PARIBAS
VOTORANTIM ASSET
MODAL
SICREDI
Principais administradoras e gestoras, segundo ranking ANBIMA de Abril/2020

Caso você queira fazer o download de ambos rankings, acesse.

PUBLICIDADE

você pode gostar também
2 Comentários
  1. […] Fundos de Investimentos, por que tê-los em sua carteira? […]

  2. […] é um investidor, conhece seu perfil de investidor e busca ampliar e diversificar seus investimentos, mas não entende muito bem o que são criptomoedas? O mercado das Criptomoedas é atraente para os […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

3 × cinco =