O Jornal Analítico é um projeto profissional independente que busca através das notícias, opiniões e análises criar um senso crítico que amplie a capacidade de entendimento social do leitor. Sempre com a seriedade que o jornalismo profissional necessita. Amplie-se.

-Publicidade-

O Enem chegou, e agora?

0

Mesmo com problemas, o Enem vem aí! Milhares de estudantes farão a prova esse fim de semana. Saiba como se preparar para a prova.

Muitos estudantes se sentem prejudicados pelo caos no setor educacional que o governo Bolsonaro proporciona. O Enem foi a vítima da vez! Exame será aplicado (prova impressa e digital) nos dias 21 e 28 de novembro.

A bagunça e o projeto deliberado em desestruturar e esvaziar o setor educacional é notório durante o governo de Jair Bolsonaro. Agora, o alvo foi a prova do Enem, que está sendo investigada após denúncias de funcionários do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), que dizem haver interferência do governo na elaboração da prova.

Independente da bagunça, do desmonte e da desorganização que é “a cara do governo”, a prova está aí e milhares de estudantes irão tentar um futuro melhor em meio ao descaso da atual gestão.

Como se preparar melhor para o vestibular?

PUBLICIDADE

O sonho de muitos jovens e adultos é passar no vestibular ou em algum concurso público, não é mesmo?

Todos querem entrar em uma faculdade renomada, buscam estabilidade ou precisam se sair bem nos exames semestrais escolares. Porém, não são todos que conseguem se sair muito bem nos vestibulares, muitas vezes por falta de tranquilidade na hora de realizar o exame ou dificuldade em organizar a rotina de estudos. 

Com a proximidade das provas, muitos alunos ficam afobados e ansiosos, por isso acabam cometendo o erro de estudar por horas seguidas sem pausas.

Caem no pecado de achar que a estratégia de estudo seguido e ininterrupto vai adiantar. Essa atitude desesperada não é muito inteligente e acaba atrapalhando a absorção do conhecimento e o lado psicológico fica abalado.

Tenha uma estratégia elaborada e estude com tranquilidade

Muitas vezes o problema é a falta de uma estratégia na hora de estudar. É importante criar um esquema de estudo que tenha a ver com você. Cada pessoa tem seu método de aprendizado, lendo e fazendo resumos, reproduzindo a matéria com suas próprias palavras, resolvendo exercícios, assistindo vídeo aulas, etc.

É bom descobrir qual a melhor maneira que você absorve o conteúdo, assim você conseguirá ter uma melhor qualidade no estudo.

Durma bem e pratique atividades físicas. Você não estará perdendo horas de estudo, mas adquirindo qualidade no aprendizado.

Dormir bem é primordial para quem precisa memorizar muito conteúdo. Durante o sono nosso cérebro armazena todas as memórias diárias e recarrega nossa energia. Se você deixa de dormir para continuar estudando, pode parar.

Não dormir só irá prejudicar seu aprendizado e memorização, ainda o deixará com aquela sensação de cansaço, prejudicando o seu dia e tornando esse acúmulo de horas não dormidas em uma “bola de neve”.

Praticar atividades físicas só traz benefícios para a saúde, disso todos já sabem, mas um estudo da Universidade de Ohio nos Estados Unidos comprovou que quem pratica exercícios aeróbios com frequência tem uma capacidade melhor na absorção de informação, além de ter o raciocínio mais rápido que o de uma pessoa sedentária.

Os benefícios não param por aí. A prática de exercícios preservam os novos neurônios que nascem diariamente no nosso cérebro, ou seja: ande, corra, nade, pedale. Não será tempo perdido nos seus esforços diários para conquistar aquele tão sonhado dez. 

O que pensa o jornal

O Enem sempre foi uma prova que trata de temas atuais, contemporâneos e que requer raciocínio crítico, além de uma compreensão de mundo ampla por parte do estudante.

Isso incomoda o presidente da República, pois para ele falar de atualidade e exigir raciocínio crítico tem viés ideológico de políticas de esquerda.

PUBLICIDADE

O presidente, que nada entende de educação, acha que o decoreba de sua época é melhor. Formar cidadão sem capacidade de compreensão é essencial para seu projeto reacionário.

Basta observar a dificuldade de compreensão e a baixa capacidade de discernimento que a geração de Bolsonaro apresenta para notar que o mundo mudou. Não conseguem acompanhar e aceitar as mudanças da civilização.

Talvez por isso, reacionários não gostem de Paulo Freire.

O conservadorismo que Bolsonaro defende é equivalente a retrocesso e a incapacidade intelectual.

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

nove − três =