O Jornal Analítico é um projeto profissional independente que busca através das notícias, opiniões e análises criar um senso crítico que amplie a capacidade de entendimento social do leitor. Sempre com a seriedade que o jornalismo profissional necessita. Amplie-se.

-Publicidade-

Disney+ está entre nós! Confira 10 dicas do que assistir por lá

0

Disney+ está entre nós! O novo e aguardado serviço de streaming chegou ao Brasil. Confira:

Disney+ is in the house!

Por Marcelo Silva

Disney+ está entre nós! Depois de um longo ano (que diversos motivos só ajudaram a deixá-lo ainda mais longo), a grandiosa plataforma de streaming da maior empresa de entretenimento do mundo chegou.

Com produções do estúdio Disney e de todas as suas propriedades, que englobam Pixar, Marvel, Star Wars, National Geographic e Fox, o serviço desembarcou ao Brasil hoje em grande estilo e apesar de algumas decisões controversas (como acabar com a mídia física no país por causa do streaming e a falta de legendas em Hamilton por uma “decisão criativa” – seja lá o que isso signifique), as redes sociais pararam pra poder conferir todo o catálogo que a nova concorrência da Netflix tem.

PUBLICIDADE

Como algumas atrações já são bem óbvias (todos os filmes da Marvel, Pixar e Star Wars, The Mandalorian, a nova série de High School Musical, as produções mais recentes da Disney), resolvi elencar aqui 10 dicas nem tão óbvias que estão prontas para serem assistidas por lá. Se você já assinou, deixa essa lista à mão para conferir tudo e se ainda não se decidiu, talvez ela te ajude. Vamos lá:

Black is King:

Idealizado por Beyoncé, o filme é a versão visual do álbum “The Lion King: The Gift”, lançado pela artista em 2019. Há um conceito e uma storyline por trás da produção e se você prestar atenção verá que é a história de “O Rei Leão” recontada por meio das músicas de Beyoncé. No fim, independente disso o que vale mais é o cuidado imenso que a artista teve para representar a África, respeitar sua ancestralidade e mostrar ao mundo a beleza e a grandiosidade da cultura e da terra africana. Tudo isso ao som de algumas de suas melhores e mais ricas músicas. Independente de gostar ou não de Beyoncé, vale a conferida.

Pixar Sparkshorts:

O projeto começou no Youtube, com animadores da Pixar criando curtas originais com orçamento limitado e o prazo de apenas seis meses. Porém desde novembro do ano passado as histórias têm sido lançadas exclusivamente no Disney+ e são todas absolutamente imperdíveis. Com temas mais maduros do que as animações que chegam ao cinema (incluindo um curta sobre um homem gay prestes a se assumir para os pais), os Sparkshorts são histórias simples e rápidas feitas com toda a alma e coração que só os filmes da Pixar possuem. Um deles inclusive (Kitbull) chegou a ser indicado ao Oscar. Confira:

A Dama e o Vagabundo:

A versão live action de uma das animações mais clássicas da Disney pode não ter sido totalmente abraçada pela crítica (assim como… todos os remakes que eles já fizeram), mas foi um dos primeiros filmes exclusivos do streaming e um dos carros-chefe do lançamento da plataforma nos EUA. A história já é bem conhecida, sobre o romance entre uma cachorrinha de raça vinda de uma família rica e um cachorro de rua. Tessa Thompson e Justin Theroux fazem as vozes dos protagonistas e antes que você pergunte, é claro que a cena do macarrão está no filme.

Pane Elétrica- Curtas Originais:

Inspirados pelo projeto da Pixar, a Disney fez seu próprio projeto, em que animadores davam ideias para curtas e precisavam criar produções independentes, com o adicional de explorar técnicas diferentes de animação e storytelling. São 14 curtas que só fazem pensar na falta que essa ousadia e criatividade fazem para a Disney no cinema atualmente. Estilos totalmente distintos e belíssimos de animação, aliados a histórias simples mas encantadoras. Ótimo para lembrar que ainda que tenham caído num looping de remakes e sequências sem alma nos cinemas, a Disney ainda tem aquela magia incomparável – só está mais escondida do que devia.

Free Solo:

PUBLICIDADE

Vencedor do Oscar em 2019, esse documentário mostra toda a jornada do alpinista Alex Honnold para escalar, sozinho, a montanha El Capitain, com mais de 900 metros de altura. É o tipo de história que nos deixa entre o fascínio pela paixão de Honnold e o choque em não conseguir entender porque alguém se prestaria a algo tão absurdo. A fotografia, como já era de se esperar, é impressionante e a primeira parte arrastada é plenamente compensada quando a escalada efetivamente começa. Ah, se você sofre de vertigem, vale pensar duas vezes antes de encarar esse documentário exclusivo na Disney+

Newsies:

A versão teatral de um filme que foi um pequeno fracasso comercial lançado em 1992 (também presente no Disney+ com o maravilhoso nome nacional “Extra! Extra!”) ficou em cartaz na Broadway por apenas dois anos, mas foi tempo o suficiente para transformar Newsies em um pequeno fenômeno online.

Um dos primeiros musicais impulsionados pelas redes sociais, a história da greve dos jovens vendedores de jornal de 1899 (baseado num acontecimento real) gerou uma base de fãs fiéis e fervorosos na internet e provavelmente foi essa popularidade que fez a Disney juntar o elenco original em 2017 para gravar uma apresentação definitiva.

Apesar da direção e edição não serem das melhores, as canções compostas pelo lendário Alan Menken são a magia da Disney no seu melhor, as coreografias são espetaculares e o elenco tem uma química inabalável. Pra assistir com a família toda.

Mickey Mouse Steamboat Willie:

Oito breves, mas históricos minutos marcam a primeira aparição pública do ícone supremo da Disney, Mickey Mouse. De 1928, essa animação também introduz Minnie, numa historinha simples em que o camundongo é o ajudante um tanto distraído de um navio.

Um marco pra época por ser a primeira animação do estúdio com som sincronizado e a primeira na história a ter uma trilha sonora composta em pós-produção, é também um atestado do longo caminho que um dos personagens mais icônicos da história percorreu, já que esse Mickey, bagunceiro e um tanto cruel com outros animais é bem diferente do amável mascote que conhecemos hoje.

PUBLICIDADE

Aliás, se você assistiu alguma das animações mais recentes da Disney, provavelmente já viu alguns segundos de “Steamboat Willie”, já que Mickey pilotando o barco se tornou a vinheta oficial da Walt Disney Animation Studios.

X-Men – A Série Animada:

Uma pérola da nostalgia pra qualquer criança dos anos 90, a animação clássica dos X-Men é uma das melhores e mais importantes adaptações de HQs já feitas. Junto com “Batman: A Série Animada” da mesma época, ela pavimentou o caminho para uma onda de animações baseadas em quadrinhos que surgiram nos anos seguintes e de certa forma, para a ideia de levar os mutantes para o cinema (algo que aconteceria só em 2000).

Os visuais espalhafatosos, as histórias tiradas diretamente das HQs e a excelente dublagem fizeram a alegria de muita gente nas manhãs da Globo e agora toda uma nova geração (especialmente quem só assistiram o também ótimo X-Men Evolution) tem a chance de conhecer isso também. Por enquanto só a primeira temporada está disponível.

O Mundo Segundo Jeff Goldblum:

Provavelmente o programa exclusivo mais inusitado do Disney+, essa série é basicamente o sempre ótimo Jeff Goldblum explorando uma variedade dos mais aleatórios assuntos (como sorvetes, tatuagens e churrasco – eu disse que era aleatório), indo a fundo para descobrir tudo sobre eles. A ideia é mostrar como algumas coisas que podem parecer comuns para nós na verdade guardam grandes histórias e conexões surpreendentes. O carisma inabalável de Goldblum já conquista no trailer e a curiosidade em saber o que se tira de uma premissa tão… estranha, é o suficiente pra conquistar qualquer espectador

Hamilton:

Desde que estreou na Broadway em 2015, o musical criado por Lin-Manuel Miranda rapidamente se tornou um dos maiores da história do teatro. Não é a toa que a Disney desembolsou inacreditáveis US$ 75 milhões para garantir os direitos da versão filmada do espetáculo, uma das aquisições de direitos mais caras de todos os tempos.

Mas eles sabiam que valia a pena, já que Hamilton é uma verdadeira obra-prima, misturando rap, pop, R&B e um elenco diverso para contar a história dos EUA como ninguém nunca fez antes. Vou me limitar a isso, para não transformar essa lista num texto mais sobre Hamilton do que sobre o resto, então finalizo dizendo que se você só pudesse assistir a UM filme no Disney+ e nada mais, essa seria a melhor opção.

Como mencionado no começo do texto, infelizmente o espetáculo chegou sem legendas por aqui, mas o movimento nas redes sociais têm sido enorme, então isso pode mudar em breve. Porém se estiver muito curioso e o inglês estiver em dia, já vale conferir agora!

Isso porque nem mencionei o que ainda está para chegar como “Mulan” dia 4 de dezembro, “Soul” no dia 25 e “WandaVision”, a primeira série exclusiva do Universo Cinematográfico Marvel, dia 15 de janeiro. Mas isso fica mais pra frente e as análises dessas novidades você obviamente vai conferir aqui nos próximos meses.

Enquanto isso, tem um streaming novo inteirinho esperando pra ser consumido, tá esperando o que??

Marcelo Silva, colunista de Cultura

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

dois × dois =