O Jornal Analítico é um projeto profissional independente que busca através das notícias, opiniões e análises criar um senso crítico que amplie a capacidade de entendimento social do leitor. Sempre com a seriedade que o jornalismo profissional necessita. Amplie-se.

-Publicidade-

O Vinicultor brasileiro. De Baco à sofisticação do mercado nacional.

2

Segundo a mitologia romana, Baco, o filho de Zeus com uma mortal, não só criou o vinho, mas também tornou o consumo de vinho popular em festas e celebrações. Isso porque a bebida passou a regar as festividades e dar uma nova perspectiva ao conceito de diversão da época. Hoje o vinicultor brasileiro vai no embalo de Baco.

O vinho desde os contos mitológicos se tornou um dos produtos mais consumidos no mundo. Sinônimo de sofisticação, além de um ótimo acompanhamento para jantares – A enogastronomia é a arte de harmonizar o vinho ideal a uma bela refeição. As diversas possibilidades de vinhos e suas harmonizações ganharam o consumidor e o vinicultor brasileiro que hoje é considerado por muitos um dos públicos mais assíduos da bebida.

O Brasil, maior país da América Latina é considerado o quinto maior produtor vitivinícola do hemisfério sul, vem produzindo vinhos desde o começo de sua colonização. No Brasil, o mercado para ambas as profissões (viticultor e vinicultor) tem crescido exponencialmente desde os anos 1960, quando a vitivinicultura no país desenvolveu-se com maior força. Muitas escolas técnicas e até faculdades formam profissionais das duas áreas.

Houve um crescimento de 27% no consumo per capita de vinhos finos entre adultos nos últimos 5 anos. Só o estado de São Paulo consome, em média, 2,85 litros por pessoa. Países como Portugal e Itália “brigam” para ver quem mais importa pra cá.

PUBLICIDADE

A atitude do consumidor brasileiro em relação ao vinho ainda está em modo de “descoberta”, os que gostam de experimentar novos e diferentes estilos de vinhos, enquanto o percentual dos que não se importam com o que estão comprando, desde que o preço seja justo vem diminuindo. Essa tendencia demonstra o refinamento e a procura por novos produtos, vinicultores e culturas de diferentes uvas que dão origem aos vinhos.

As diferenças entre viticultor e vinicultor

O viticultor é responsável pela plantação, cultivo e colheita da uva, tem como especialidade conhecer e preparar o solo para as plantações da uva, estudar e pôr em práticas técnicas de irrigação, saber qual a melhor forma de cultivo de cada variedade e colher de maneira menos agressiva possível as frutas.

Já o Vinicultor por sua vez é quem dá a destinação vinícola para as uvas, ou seja, é ele o responsável por transformar a uva em vinho. O seu trabalho engloba todas as etapas de elaboração do vinho a partir do momento em que as uvas são colhidas, do seu transporte ao engarrafamento do produto final, e sua consequente comercialização.

Tipos de culturas de uvas e origens

Cabernet Sauvignon

Se você gosta de saborear bons vinhos tintos, provavelmente já ouviu falar da uva Cabernet Sauvignon. Essa é, sem sombra de dúvidas, a casta tinta mais utilizada para produzir vinhos em várias regiões do mundo. Sua origem é francesa, mais especificamente da região de Bordeaux, mas ela é hoje cultivada em países como a Argentina, o Chile, os Estados Unidos e também no Brasil, por sua facilidade de se adaptar a diferentes terrenos. 

Merlot

A uva Merlot é outra cepa francesa originária de Bordeaux, também muito popular em vinhos produzidos fora desse país. Essa uva produz bebidas macias, porém encorpadas, com aroma e sabores frutados, ideais para se consumir ainda jovem — ao contrário da Cabernet, que aproveita bem o processo de envelhecimento.

Malbec

Outra uva francesa, a Malbec, começou a fazer muito sucesso em produções vinícolas fora desse país. A Argentina é, atualmente, a maior produtora dessa uva, elaborando também os melhores vinhos derivados dessa cepa específica. A Malbec é uva uma que produz um vinho macio, bastante aromático, com leve sabor de especiarias e flores.

Bordô

A uva Bordô é de origem americana, e também conhecida nos EUA como Ives Seedling Terci, chegou no Brasil em 1904 especificamente na Serra Gaúcha, que está localizada no Estado do Rio Grande do Sul. É a maior região vinícola do país com cerca de 40 mil hectares de vinhedos. Os vinhos bordôs têm uma forte e vívida coloração violeta, decorrente da elevada concentração de antocianinas na casca das uvas, que passam para os vinhos durante o processo de maceração. Possuem sabor frutado e baixa concentração de tanino. Possuem sabor mais ácido e tem um gosto mais forte. Sua poda é realizada de Julho a Agosto e a colheita concentra-se nos meses de Janeiro a Março.

Os novos produtores de vinho crescem no país.

 Há alguns anos atrás no Brasil, não era uma missão difícil escolher os melhores vinhos produzidos em nossas ricas terras. Hoje, esta tarefa se tornou árdua e saborosa, óbvio, pois há inúmeros bons vinhos surgindo todos os anos; de novos produtores e de novas regiões.

PUBLICIDADE

Berço de alguns dos mais cobiçados vinhos nacionais, a Serra Gaúcha foi o marco inicial da produção de vinhos no país, tendo como sua “capital do vinho” a cidade de Bento Gonçalves, as vinhas cultivadas se espalham desde seu Vale dos Vinhedos até cidades como Garibaldi, Caxias do Sul e Flores da Cunha, entre altitudes que variam de 400m até 600m.

É da Serra Gaúcha que a promissora produtora de vinhos, a Viñolagar, retira suas safras de uvas e cuidadosamente as transportam para sua fábrica, localizada em São Roque, cidade São Paulo conhecida pela grande oferta de vinhos e vinícolas. É em sua fábrica onde estandardizam e envasam os vinhos para distribuição e comercialização.

O Vinicultor brasileiro. De Baco à sofisticação do mercado nacional.

A Viñolagar é uma das novas e promissoras produtoras de vinhos nacionais. Seus donos, como amantes do bom vinho que produzem, primoram a missão e os valores da empresa, criando receitas exclusivas de vinhos e sucos que promovem saúde e bem-estar. Hoje, abastecem diversos restaurantes, pizzarias, cantinas e padarias.

O controle de qualidade é o principal requisito que possibilitaram a produtora de vinho expandir seus negócios e abastecer diversos restaurantes, pizzarias, cantinas, padarias e comércios da região metropolitana de São Paulo e do litoral norte paulista. Em São Paulo por exemplo, fornecem suas linhas de vinhos para padarias, como a Padaria Bandeirantes, localizada em Interlagos, além do conhecido Sacolão Varejão Mundo Verde, no bairro Bela Vista, ambos bairros nobres da cidade de São Paulo. Você também encontrará os produtos da Viñolagar em Bertioga, litoral norte de São Paulo, em um dos principais pontos turísticos da cidade, o Pastel Bertioga, dentro da Riviera de São Lourenço.

PUBLICIDADE

você pode gostar também
2 Comentários
  1. Sergio Diz

    Adorei a Matéria, parabéns !!!!

    1. Renan Aversani Diz

      Muito obrigado pelo feedback. Continue acompanhando as matérias e o noticiário pelo Jornal Analítico.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

cinco × três =