O Jornal Analítico é um projeto profissional independente que busca através das notícias, opiniões e análises criar um senso crítico que amplie a capacidade de entendimento social do leitor. Sempre com a seriedade que o jornalismo profissional necessita. Amplie-se.

-Publicidade-

Cerveja, a bebida do brasileiro

0

Cerveja, tire suas dúvidas sobre a bebida do brasileiro. Uma das bebidas mais consumidas no mundo e que tomou conta do Brasil.

A cerveja é uma das bebidas mais consumidas no mundo e no Brasil não seria diferente. Quem no calor nunca pensou em tomar aquela cervejinha, bater aquele papo com os amigos, aproveitar o momento? A bebida é tão familiarizada à cultural tropical que é carinhosamente chamada pelo brasileiro por diversos apelidos: gelada, breja, loura, etc.

Há cerca de dez mil anos, a descoberta da cerveja ocorreu de maneira acidental, quando algum pedaço de pão de centeio estragou e passou a apresentar um sabor diferente e agradável, fruto da fermentação alcoólica.

Mais tarde ela passou a ser produzida por padeiros, já que a matéria prima da bebida era a mesma do pão. A partir daí o resto é história e já sabemos onde a arte de se fazer a “breja” chegou.

PUBLICIDADE

Afinal, ela faz bem?

Existem muitas dúvidas relacionadas ao consumo da bebida. Alguns dizem que ela é prejudicial, outros afirmam que ela faz bem para a saúde, mas afinal, o que é verdade e o que é mito?

A bebida alcoólica deve ser consumida moderadamente, pois o álcool, além de causar dependência, é um dos causadores de doenças no figado, problemas cardiovasculares e câncer. Os efeitos do álcool dependem e muito da quantidade consumida e de outros fatores que o tornam prejudiciais como: peso corporal, sexo, alimentação e até mesmo pré disposição genética a desenvolver doenças e dependências.

Porém, um estudo comprovou que o consumo moderado da cerveja reduz o risco de mortalidade, pois a cevada e o lúpulo presentes na fórmula da bebida, ajudam na prevenção de doenças cardiovasculares.

Cerveja engorda? Dá barriga?

Como todo tipo de alimento, a “cervejinha” possui calorias. A composição dela contém álcool, açúcares, carboidratos, cada qual com suas calorias e se consumida de maneira exacerbada, ela engorda. Mas um dos grandes vilões da balança não é a cerveja em si, e sim os petiscos que comemos durante a “cervejada”. A barriga não é só mérito da cerveja, toda bebida gaseificada expande as paredes do estomago, dando aquele volume a mais na barriga, portanto o segredo é a quantidade ingerida.

O mercado cervejeiro

Mas vamos falar da parte boa! Da breja que nós adoramos consumir e que tanto nos refresca nos dias de calor, na praia, nas festas, em bares…

Hoje o mercado da bebida é tão amplo que ela pode ser fabricada artesanalmente, não apenas nas grandes fábricas.

Sim, você pode fabricar a própria cerveja! São as chamadas cervejas artesanais.

Ao imaginar uma cerveja artesanal, tenha em mente um produto bem mais cuidado e com produção restrita. A qualidade das cervejas artesanais geralmente é boa e o leque de diversidade é enorme. São diferentes sabores, texturas e cores que estão atraindo muitos cervejeiros que procuram algo novo e esperam gratas experiências.

Para demonstrar a paixão pela bebida existem perfis em redes sociais focados na descoberta e na degustação de novas marcas, exemplo do TALKBEER2ME, um perfil criado no Instagram especialmente para tratar de cervejas, descobrir novos rótulos, sabores, estilos e curiosidades sobre cada tipo da bebida.

A vida é curta demais para não experimentarmos o máximo de rótulos possíveis

Talk Beer 2 me, perfil do Instagram destinado à descoberta de novas marcas cervejeiras.

Hoje o mercado produtor alcançou patamares nunca antes imaginados. Você encontra cerveja em lojas especializadas que ficam em shoppings centers, aplicativos Delivery, em restaurantes, bares, botequins. O mercado está muito acessível e são centenas de marcas nacionais e internacionais.

O mercado nacional é muito bem quisto pelos apreciadores. Hoje existem diversas cervejarias brasileiras que produzem produtos da melhor qualidade, como é o caso das já famosas Colorado, Eisenbahn, Coruja, Therezópolis, Serramalte, Paulistânia, Cacildis, entre outras dezenas de marcas nacionais.

PUBLICIDADE

cerveja a bebida do brasileiro
imagem – blog clube do malte

Aprenda a avaliar uma cerveja

Mas como avaliar uma cerveja? O gosto pessoal conta muito, o importante na hora de avaliar é deixar os sentidos aflorarem e desfrutar dos sabores e sensações.

Mas existem etapas que devem ser levadas em conta: a aparência, aroma, sabor, sensação e conjunto. Seu primeiro contato com a cerveja é avaliando a aparência. Observe a cor, a textura do líquido e a durabilidade do creme, o famoso colarinho.

O aroma é a avaliação mais complexa na cerveja. É no aroma que você sente o toque floral, cítrico, frutado, o malte. As sensações dependem da sua memória olfativa, suas experiências adquiridas durante a vida, mas não faça mais que quatro vezes o processo de inspiração, pois ao repeti-lo, o sentido olfativo se confunde e isso pode prejudicar a avaliação.

Enfim, beba a cerveja. No primeiro gole atente ao gosto que sentirá. É amargo, doce, ácido, azedo? Remeteu a algum sabor familiar, o sabor do malte, lúpulo, cevada? O sabor depende da cerveja que está degustando, o importante é senti-lo e apreciá-lo. Depois do primeiro gole, você estará intimo da cerveja. Nessa hora procure entender a sensação que ficou na boca e se é do seu agrado.

O conjunto da obra deve ser avaliado no final. Gostou do que bebeu, indicaria a um amigo?

Garçom, desce mais uma!

Como fazer cerveja?

Produzir cerveja requer três processos básicos: mostura, fervura e fermentação. Os dois primeiros geralmente ocorrem no mesmo dia. Já a fermentação dura de uma a algumas semanas. A seguir uma descrição resumida de cada processo.

PUBLICIDADE

Mostura

Este processo, que dura de duas a cinco horas, extrai os açucares fermentáveis e outros componentes importantes do malte. Primeiro o malte é moído, depois misturado à água quente, permanecendo a uma temperatura de aproximadamente 65ºC. Depois disso, a água rica em açúcares (agora chamada de Mosto) é retirada e o que restou do malte moído é lavado com água quente para extrair o máximo possível dos açúcares que restaram.

Fervura

O mosto é fervido na caldeira de fervura, normalmente de uma a duas horas. Durante a fervura, o lúpulo é adicionado em momentos variados, com a finalidade de conferir amargor, paladar e aroma que o cervejeiro deseja. No final da fervura o mosto é separado do lúpulo e resfriado, sendo preparado para a fermentação.

Fermentação

O fermento é adicionado ao mosto para iniciar a fermentação e transformá-la em cerveja. As fermentações “Ale” (de alta fermentação) duram de cinco a dez dias a temperaturas de 16ºC a 21ºC. Já as fermentações “Lager” (de baixa fermentação) geralmente são mais longas, com uma fermentação inicial de 10ºC a 13ºC, seguida de um período de maturação a 1ºC.

No final da fermentação, a cerveja é carbonatada e envasada.

É claro que há inúmeros processos de fazer cerveja, como a fermentação natural, carbonatação natural, adição de outros “temperos” além de lúpulo, etc. Todavia, o roteiro resumido acima dá uma boa ideia inicial da “espinha dorsal” da produção da cerveja.

Quer conhecer mais do mercado de bebidas nacionais?

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

20 − 5 =