O Jornal Analítico é um projeto profissional independente que busca através das notícias, opiniões e análises criar um senso crítico que amplie a capacidade de entendimento social do leitor. Sempre com a seriedade que o jornalismo profissional necessita. Amplie-se.

-Publicidade-

Burnout: sintomas, quais as causas e como tratar

1

Síndrome de Burnout ou Síndrome do Esgotamento Profissional é um distúrbio emocional com sintomas de exaustão extrema, estresse e esgotamento físico resultante de situações de trabalho desgastantes, que demandam muita competitividade ou responsabilidade.

Você provavelmente conhece alguém que já passou por isso. Talvez você mesmo já tenha chegado a esse ponto. Pois é, para se ter ideia só no Brasil, cerca de 72% dos profissionais que estão no mercado de trabalho sofrem com alguma condição associada ao estresse agudo.

Estima-se que 32% estejam sofrendo com o burnout, e, destes, mais de 90% continuam trabalhando, mesmo com todos os sintomas da síndrome.

A síndrome de burnout foi definida pela OMS como uma condição associada estritamente ao trabalho. Isso porque a principal causa da doença é justamente o excesso dele.

Esta síndrome é comum em profissionais que atuam diariamente sob pressão e com responsabilidades constantes, como médicos, enfermeiros, professores, policiais, jornalistas, dentre outros.

PUBLICIDADE

Seu significado é simples, traduzindo do inglês, “burnout” quer dizer esgotamento, como de algo que já queimou tudo.

Sintomas do Burnout

A pessoa que sofre com burnout está demasiadamente consumida. Os sintomas são cansaço excessivo, físico e mental. Mas não só isso, ela vem acompanhada de dor de cabeça frequente, alterações no apetite, insônia, dificuldades de concentração, sentimentos negativos de fracasso, insegurança, incompetência e desesperança. Além de alterações repentinas de humor, isolamento, fadiga, pressão alta, dores musculares, problemas gastrointestinais e cardíacos.

Essa síndrome se não tratada pode resultar em uma depressão profunda. Por isso é essencial procurar apoio profissional no surgimento dos primeiros sintomas, que nem sempre são fáceis de associar a algum problema psicológico.

A Síndrome de Burnout também pode acontecer quando o profissional planeja ou é pautado para objetivos de trabalho muito difíceis, situações em que a pessoa possa achar, por algum motivo, não ter capacidades suficientes para os cumprir.

Burnout: sintomas, quais as causas e como tratar
Síndrome de Burnout

Síndrome de Burnout na quarentena

Se você durante a pandemia do novo coronavírus, precisou trabalhar em sua casa, no famoso home office, com certeza notou que o trabalho não parou. Trabalhar remoto pode parecer muito bom, mas na grande maioria das vezes está longe de ser perfeito.

Provavelmente quem tem filhos ( que também ficaram em casa) deve ter passado por vários momentos de interrupções – o que nem é culpa das crianças, porque elas não entendem que os pais estão trabalhando – Mas além dos afazeres domésticos ou ainda a falta de um local apropriado para trabalhar e tudo que envolve o funcionamento de uma casa, pode afetar seu desempenho no home office.

Contudo, as cobranças profissionais continuam as mesmas (ou maiores) e a mudança de conduta de vida e postura precisam ser reavaliadas. Por isso, desenvolver a síndrome de burnout durante a quarentena pode ser mais comum do que muitos pensam. Muitas vezes os funcionários remotos sentem muito mais cansaço, por não conseguirem dividir os papéis de pais e funcionários, tornando a situação bem intensa, resultando em fatores que podem comprometer a saúde mental.

Burnout: sintomas, quais as causas e como tratar
Síndrome do esgotamento profissional

E você acha que todo mundo tem coragem de admitir a Síndrome de Burnout?

Infelizmente não, pois em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo, os profissionais – principalmente os mais jovens – tendem a ultrapassar seus limites e não reconhecem que precisam de ajuda.

É um papel da sociedade debater sobre o tema, majoritariamente das empresas. Quando uma companhia fala internamente sobre saúde mental e problemas psicológicos, as pessoas passam a enxergá-los. Todos estão sujeitos, inclusive os colaboradores de alta performance.

PUBLICIDADE

Um funcionário estressado, por exemplo, tende a cometer erros mais graves do que aquele que está em seu equilíbrio emocional. Tudo ainda leva a empresa a perceber que há algo de errado em seu processo, pois existe uma sobrecarga no trabalho. Portanto debater burnout, depressão, ansiedade e doenças do espectro psiquiátrico é estratégia, hoje em dia.

Para Rodrigo Leite, responsável pelos ambulatórios do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas em São Paulo, o reconhecimento do esgotamento profissional como um problema transforma a cultura das empresas e dos profissionais.

O diagnóstico

O diagnóstico da Síndrome de Burnout sempre é feito por psicólogos ou psiquiatras, após análise clínica do paciente. Eles são os profissionais de saúde mais indicados para identificar o problema e orientar a melhor forma do tratamento, de acordo com cada caso.

Muitas pessoas por não saberem ou não conseguirem identificar todos os sintomas não buscam ajuda médica e por muitas vezes, acabam negligenciando a saúde sem saber que algo mais sério pode estar acontecendo.

Amigos próximos e familiares podem ser bons pilares no início, ajudando a pessoa a reconhecer sinais de que precisa de ajuda.

É possível se tratar pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) está apta a oferecer, de forma integral e gratuita, todo tratamento, desde o diagnóstico até o tratamento com remédios prescritos.

Qual é o tratamento para Síndrome de Burnout?

O tratamento da Síndrome de Burnout é feito basicamente com psicoterapia, mas também pode envolver medicamentos (antidepressivos e/ou ansiolíticos).

Geralmente entre um e três meses de tratamento já é possível sentir uma grande melhora, sendo a resposta particular de cada paciente.

PUBLICIDADE

Muito provavelmente se você sofre de esgotamento profissional precisa de mudanças urgentes em sua vida. Quer seja nas condições de trabalho ou nos hábitos e estilo de vida.

Após diagnóstico médico, é fortemente recomendado que a pessoa tire férias e tenha momentos de lazer com pessoas próximas – amigos, familiares, cônjuges etc.

Mas saiba que o cuidado com a saúde mental é rotineiro e envolve atividades físicas regulares, um tempo para si mesmo, além de exercícios de relaxamento, para aliviar o estresse e controlar os sintomas da doença.

Burnout: sintomas, quais as causas e como tratar
reprodução da internet

PUBLICIDADE

você pode gostar também
1 comentário
  1. Isaías Diz

    Ótimo post. Muitas pessoas sofrem sem ao menos entender porque.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

um × cinco =